domingo, 22 de janeiro de 2017

Alerta tendência de inverno para as crocheteiras de moda!!!!

A técnica manual do crochê, vem ganhando espaço no mundo da moda, e promete ser tendência também no outono/inverno2017.

As inúmeras possibilidades de pontos e motivos, com os incontáveis tipos de fios e cores, transformam as peças em crochê concorrentes fortíssimas do tricô para a estação mais charmosa do ano.

Misturar um blusão de crochê, com o bom e velho jeans é o máximo, e poder  acrescentar acessórios de crochê como toucas, luvas, cachecols e boot cuffs ao look, deixam os dias frios mais envolventes e aconchegantes.



A aparição da Top Gisele Bündchen, usando uma scarf fabricada pela marca The Third Piece, fez com que o modelo se esgotasse rapidamente na loja da fabricante americana, que é vendida lá por US$ 268 dólares, aproximadamente R$854 reais aqui no Brasil. Oque faz com que tenhamos uma noção do que será tendência no inverno 2017.

Essa peça já foi muito vista no inverno europeu do ano passado, e promete voltar com tudo nos dias invernais, podendo também aparecer aqui durante o inverno no Brasil.




Esse tipo de peça aflora a imaginação e criatividade das crocheteiras de plantão, que buscam inspiração em peças gringas para tecer, e graças a variedade de pontos do crochê as peças em tricô também podem ser reproduzidas nesse tipo de artesanato.

Ai vão alguns modelos pra gente se inspirar e artear nos pontos de crochê!!!





E ai oque vocês acharam?
Bora crochetar e se preparar para o inverno!!!

Bons crochês e até o próximo post!!!


terça-feira, 17 de janeiro de 2017

A História do Crochê

Oque se sabe dessa técnica que cada vez mais atrai admiradores e adeptos?

Fiquei curiosa e fui pesquisar sobre a origem do crochê, e conto pra vocês oque descobri neste post.



A origem do crochê é incerta, sabe-se que a palavra crochê vem do francês, crochet, que significa gancho, referente ao formato da agulha utilizada na confecção das peças. 

Imagina-se que essa arte possa ter vindo do Egito, da China , da Tunisia, das Arábias , do Peru e até da Dinamarca, porém o que se sabe é que esta prática manual já existe desde a Idade Média, e teve sua expansão no século 16.


Na Renascença e durante a época de Luís XIV a técnica se aprimorou, assim como a qualidade dos trabalhos. A Revolução Francesa propiciou indiretamente a difusão do crochê para todos os países da Europa (Irlanda, Inglaterra, e países nórdicos) graças as famílias nobres que ali se exilaram, levando consigo esse conhecimento.





Ensinada nos conventos, a arte predominantemente feminina se tornou um dos passatempos favoritos das damas das classes abastadas. Já no século 19, o crochê deu origem a uma verdadeira indústria em lugares como Irlanda, Inglaterra e França  sendo exportadas para o mundo inteiro ,particularmente para a Inglaterra da rainha Vitória, adepta da moda dos tecidos com esses bordados de cheios e vazios durante seu reinado.

Rainha Vitória

Assim, Mademoiselle Riego de La Blanchardière, depois de ter ensinado a técnica do crochê à corte da Rainha Vitória, publicou a primeira revista sobre o assunto: The Needle.
A moda do crochê mudou no fim do período vitoriano, nos anos 1890. Já na era eduardiana, a renda crochetada teve seu ápice entre os anos 10 e 20 do século passado, apresentando texturas e pontos mais elaborados.

Nos anos 60 e 70 o crochê voltou a se popularizar pela técnica dos quadradinho da vovó, que traziam squares multicoloridos. O movimento hippie começou a usar os squares coloridos em diversas aplicações e objetos, e voltou à moda atualmente, virando tendência, como já falamos no post anterior.



Nos dias atuais essa técnica volta a adquirir popularidade pelas mãos das criativas artesãs. Seja como passatempo, terapia ou fonte de renda, o crochê vem ganhando seu espaço, e criando novos nichos, seja em decoração, amigurumis, intervenções urbanas e vestuário. A prática do crochê não tem idade, sexo ou classe social. O feito a mão é cada vez mais valorizado, e a difusão do crochê vem ocorrendo em diversas partes do mundo, fazendo com que cada vez mais, essa arte seja reconhecida e admirada por todos.


E ai, oque vocês sabem sobre a origem do crochê?
Compartilhem comigo!!!

Beijos e até o próximo post!!!




domingo, 8 de janeiro de 2017

Cuidados com a lavagem das peças em crochê



Quando comecei a trabalhar com moda em crochê, me surgiu a preocupação de como minhas clientes lavariam suas peças, sem danifica-las, e qual seria a forma mais adequada para isso.

As peças de crochê são feitas manualmente, ponto a ponto, com todo o cuidado e carinho. Por isso, merecem cuidados especiais na LAVAGEM, para manterem a aparência de nova, e, durarem por muito mais tempo.

Sabemos que no rótulo dos novelos existe o campo “Cuidados de Conservação”, e isso logicamente serve para as peças que forem tecidas com o fio.

Então passei a inserir em minhas tags estas informações preciosas, que podem ajudar minhas clientes a cuidarem das suas peças em crochê.


  • Lave a mão com sabão neutro ou de coco;
  • Não torça o crochê. Apenas aperte para retirar o excesso de água;
  • Não use sabão em pó ou alvejante;
  • Não esfregue a peça;
  • Não deixe a peça de crochê de molho;
  • Estique na horizontal em um varal;
  • Não use prendedores, pois podem esticar os pontos, danificando as peças.


Espero que tenham gostado das dicas!!!
Compartilhem!!!

Beijos e até a próxima!!